Endodontia

Tratamento Endodôntico – Tratamento de Canal

O que é Endodontia?

Endo significa “dentro/interno” e dontia “dente”; também é chamada de tratamento de canal.
É a especialidade da odontologia responsável pelo estudo da polpa dentária, de todo o sistema de canais radiculares e dos tecidos periapicais, bem como das doenças que os afligem.

O Canal Dentário é um espaço localizado internamente aos dentes, onde é ocupado pela Polpa Dental, que por sua vez é constituída basicamente por nervos, artérias e veias, representando a parte viva do dente.

Em casos de alterações por cárie, fraturas dentárias, trauma dentário, trauma ortodôntico, lesões endo-periodontais, necessidades protéticas e outras patologias endodônticas, o tratamento endodôntico está indicado, visando a manutenção do dente na cavidade bucal, e a saúde dos tecidos periapicais.

O dentista que após sua graduação se especializa e faz pós-graduação em endodontia passa a ser chamado de Endodontista.

Como a Odontologia em geral, a Endodontia também evoluiu e muito e nos dias de hoje o tratamento se tornou mais simples, rápido e confortável. O profissional qualificado e atualizado dispõe de aparelhos e tecnologias que permitem alcançar a máxima qualidade com a rapidez desejada, inclusive possibilitando o tratamento em sessão única.

O que é o Tratamento de Canal?



O tratamento de canal não se trata de “TIRAR A RAIZ DO DENTE”, muito menos de “MATAR O DENTE”, trata-se de uma técnica desenvolvida para tratar uma infecção dentária através da descontaminação do dente. É a última fronteira existente para manter o dente na boca.
No tratamento Endodôntico é feita à remoção do tecido mole que se encontra na parte mais interna do dente e que recebe o nome de polpa. Ela pode estar sadia ou infectada, e ao ser removida é substituída por um material obturador.

Depois de se remover esse tecido, o dentista faz a desinfecção do canal e preenche todos os espaços com uma substância que irá impedir a proliferação e fluxo de bactérias.

Com isso o dente fica pronto para receber um tratamento restaurador ou protético, restabelecendo a estética e a função.
Os avanços tecnológicos na Odontologia, a atualização das técnicas de procedimentos e fazendo uso dos mais potentes e eficazes anestésicos, fazer um tratamento endodôntico, do ponto de vista do paciente, tornou-se uma prática completamente indolor.

Em quantas sessões ele é feito?



A endodontia pode ser feita em apenas uma sessão (Sessão única). No entanto, se houver complicações, esse número pode aumentar. “A quantidade de sessões pode variar de acordo, por exemplo, com o grau de inflamação e infecção do dente, com a complexidade anatômica e também com o grau de dificuldade que cada caso possa apresentar”

O que acontece se eu não fizer o tratamento de canal?
“O dente que não é tratado endodonticamente, vira um foco de infecção no organismo do paciente, que é perigoso pois, se não tratado e eliminado, a infecção pode cair na corrente sanguínea e o paciente pode ter sérios problemas sistêmicos”, entre os quais:
– Dor intensa
– Inchaço
– Febre
– Bacteriemia (bactérias na corrente sanguínea)
– Infecções à distância (articulações, febre reumática, entre outros)
– Extração do dente

Além disso, outras complicações podem surgir. “Vale lembrar que este processo pode evoluir para a formação de abscesso agudo, gerando grande edema facial. Este quadro infeccioso pode se tornar muito grave quando não se procura atendimento de urgência, podendo evoluir para angina, podendo gerar dificuldades respiratórias com possível obstrução total das vias aéreas”

Quais os cuidados após o tratamento de canal?
O primeiro cuidado é restaurar o dente o mais breve possível para evitar a fratura da coroa e a recontaminação do canal por microorganismos da saliva.

Outro cuidado que se deve tomar é fazer controle clínico, através de radiografia após 6 meses do tratamento. Se o dente apresenta lesão óssea, os controles são realizados a cada 6 meses até o desaparecimento da lesão.

Quando um tratamento de canal é realizado, o dente acaba perdendo sua estrutura e ficando um pouco mais fraco. Até realizar a restauração completa, na próxima consulta, é importante que a pessoa tenha paciência e evite certas guloseimas no pós-tratamento. “Orienta-se evitar alimentos muito duros, enquanto estiver com o curativo aguardando pela restauração definitiva”.

Pode voltar doer um dente com canal tratado?
O tratamento de canal tem um alto índice de sucesso, mas, em alguns casos, o dente pode voltar a doer por diversos motivos: falha do tratamento anterior; dentes com raízes muito curvas (anatomia complicada); quebra ou ausência da restauração do dente com o canal tratado, com conseqüente recontaminação do canal etc.

TRATAMENTO DE CANAL PODE ESCURECER O DENTE?
Quando o de tratamento endodôntico é feito, acontecem algumas modificações químicas no dente que podem causar seu escurecimento; os motivos que podem levar ao escurecimento do dente são:
– Decomposição da polpa coronária (parte da polpa que fica na coroa do dente).
– Hemorragia após a remoção pulpar,
– Permanência de partes da polpa na cavidade do dente.
– Longo contato de substâncias (medicamentos de uso intra-canal) com a dentina.

Tem solução!!!
Se por um acaso você fez um tratamento de canal e seu dente escureceu, existem procedimentos hoje que podem o fazer voltar a ser branco como é o caso do clareamento intra-canal e das facetas.
“Podemos prevenir o surgimento do escurecimento ou sua acentuação, realizando a correta limpeza dos canais radiculares, obturando adequadamente e restaurando com materiais apropriados”.

O que é Apicectomia?
A apicectomia, também referida como cirurgia periapical tem por finalidade a remoção de uma lesão que se forma no ápice (ponta da raiz do dente). Nesta cirurgia, além da remoção da lesão remove-se também a ponta da raíz (cerca de 3 mm) que é onde se encontram o maior número de variações anatômicas que podem conter os microrganismos responsáveis pela infecção.

Após remoção da ponta da raiz, realiza-se um selamento da estrutura remanescente para prevenir futuras recidivas.

A evolução desta lesão óssea é por norma gradual e lenta, e nem sempre é acompanhada de dor, sendo muitas vezes apenas diagnosticada através de exame radiológico (rx apical ou ortopantomografia).

Esta cirurgia periapical é feita sob anestesia infiltrativa local, não implicando para o paciente qualquer situação dolorosa.

Paciente com problemas cardíacos deve-se tomar algum cuidado especial para se realizar o tratamento de canal?
Em pacientes com problemas cardíacos que já se submeteram à cirurgia ou que possuem defeitos congênitos como prolapso da válvula mitral, é necessário o uso de antibioticoterapia profilática. Essa precaução dever ser tomada não somente quando se realiza tratamento de canal, mas em qualquer outro tipo de intervenção dentaria, como tratamento de gengiva, extrações, colocação de implante, reimplantes etc. como foi dito anteriormente quando se instrumenta o canal infectado, ocorre bacteremia. Essas bactérias que penetram são jogadas na corrente sanguínea; se encontrarem condições favoráveis, tende a se alojar e a se multiplicar nesses locais, podem causar doenças graves como a endocardite. Na duvida, o medico deve ser consultado.

error

Indique a um amigo!

Facebook
Instagram